Se há uma coisa certa é que a procrastinação pode ser uma grande inimiga da nossa produtividade.  Por isso é essencial desenvolver atitudes que nos permitam combatê-la. Conheça aqui alguns perfis de procrastinadores e descubra dicas para reduzi-la com sucesso.

 

Nem todos os ditos populares tem comprovação na vida prática.

Porém, a frase que ouvimos com frequência: “Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje” tem um efeito avassalador na nossa produtividade e no atingimento de nossas metas e objetivos.

Muito temos ouvido falar sobre ter um “mindset” focado na evolução, aberto ao novo e adequado àquilo que faz sentido para cada um.

Mas de que adianta uma mentalidade focada sem ação? De que adianta um plano se adiamos de forma deliberada a execução?

Transitando pelas empresas onde trabalho, observo constantemente o “vamos marcar para conversar”, mas não marcamos, listamos inúmeras ações no evento do planejamento estratégico, mas no primeiro monitoramento brotam os atrasos e adiamentos.

E, o que acontece na nossa vida pessoal? É uma janta com amigos que não acontece, um começar na academia na segunda que nunca chega, um levar a roupa na costureira que não acontece.

Nosso cérebro e composição é estruturado para procrastinar. Somos levados a crer que, ok, sempre terá um amanhã. Por isso, precisamos ficar atentos e gerenciar a procrastinação.

 

Ok, mas como podemos reduzir a procrastinação?

Profissionais recomendam uma sábia gestão do tempo para realizar determinadas tarefas, de maneira que a ansiedade não acabe assumindo o controle e a lista de pendências nunca diminua.

Nesse sentido, algumas das recomendações são:

  1. Fazer um estudo da tarefa específica a ser realizada. Se o volume for muito grande, podemos tentar delegar ou simplificar. Será que não tem outra forma mais fácil de fazer?
  2. Regra de 2 minutos: se você levar mais de 2 minutos para planejar uma ação, não planeje: faça!
  3. Supere sua resistência: uma vez que o primeiro passo é dado, seu medo de fazer desaparece. O receio da falha faz parte do jogo, mas só ganha o jogo quem tenta.
  4. Gerencie mais sua energia, menos seu tempo: se você está cansado ou com raiva, as chances de abandonar a tarefa aumentam e, com isso, a procrastinação aumenta.
  5. Dividir para conquistar: partir o trabalho em pequenas tarefas ou etapas ajuda a visualizar o fim cada vez mais próximo. Nosso cérebro precisa da sensação de realização. Se digo que sairei de casa para correr 20km, nem levanto. Se faço 2km todo e depois vou aumentando a probabilidade de sucesso é maior.
  6. Intervalos entre uma tarefa e outra aumentam o foco.
  7. Dedique um tempo à organização ou ao planejamento. Listar as tarefas e destacar as mais importantes.
  8. Seja realista: os motivos para realizar a tarefa devem estar claros e a demanda associada prevista.
  9. Por fim, para não cair no círculo vicioso da procrastinação sem fim, é necessário estabelecer datas limites. Assim, quando determinada data chegar, se não estivermos na posição que queríamos, receberemos um alerta que pode nos ajudar a reavaliar a situação.

“Nunca adio para amanhã o que posso fazer… No dia seguinte”

–Oscar Wilde-

Importante ressaltar que nem toda procrastinação é ruim ou compromete a produtividade.

Por vezes devemos adiar uma tarefa de forma consciente para que possamos analisar outras opções ou tentando ampliar nosso ponto de vista.

Além disso, existe a o Ócio Criativo (Domenico De Masi): necessitamos adiar para oxigenar nossa mente e buscar outras soluções e caminhos.

Que não sejamos procrastinadores crônicos onde tudo fica para depois.

Ficar atento aos nossos hábitos e tentar gerenciar nossas atitudes são as dicas!

Foque no que é importante e faça!